D&D 4th Edition Brasil
Bem-vindo ao fórum "D&D 4th Edition Brasil"!!!
Comunidade para debater e jogar D&D online.
*Cadastre-se em nosso fórum;
**Adicione-nos aos seus favoritos (CTRL + D);
***Apresente-se! Recebe as boas vindas de nossos membros, e;
****Jogue online o melhor RPG do mundo.

D&D 4th Edition Brasil

Comunidade para discussão e formação de mesas online de D&D 4E!
 
InícioInício  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 [Cenário - Parte II] O Vale Nentir

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Mestre Walla
DM-Dungeon Master
DM-Dungeon Master
avatar

Mensagens : 124
Idade : 32
Local : Capela de Santana/RS

MensagemAssunto: [Cenário - Parte II] O Vale Nentir   Seg Nov 08, 2010 9:30 pm




O VALE NENTIR
Queda Escarpada fica perto do meio de uma ampla região fronteiriça conhecida como Vale Nentir. Hoje em dia o vale está vazio, com apenas alguns vilarejos e aldeias agitadas espalhadas por esta grande comarca. As fazendas abandonadas, casarões arruinados e fortes em escombros se alastram a perder de vista. Bandidos, feras e monstros selvagens vagam livremente pelo vale, ameaçando qualquer um que viaje alguns quilômetros para longe dos vilarejos restantes. As viagens pelas estradas ou pelo rio costumam ser seguras - costumam. De vez em quando os viajantes passam por maus bocados nas estradas entre as cidades.

O Vale Nentir é uma região nortista, mas neva relativamente pouco - venta e faz muito frio no inverno. O Rio Nentir é grande demais para congelar, exceto em algumas das semanas mais frias do ano. Os verões são frescos e agradáveis. As partes "conhecidas" do mapa são recobertas de uma mistura de terrenos - grandes vastidões de gramados abertos, grupos de florestas esparsas, colinas levemente onduladas e, ocasionalmente, um trecho de bosque cerrado e vegetação fechada. As baixadas representadas no mapa são gramados montanhosos com poucos arvoredos. As colinas são escarpadas, mais pedregosas e abrigam florestas esparsas nos vales e encostas entre os montes.

Os locais de interesse no Vale Nentir estão descritos abaixo.

ABADIA DA ATALAIA

Os Montes Sepulcrais receberam esse nome por conta do monumental monastério que jaz em ruínas há quase cento e cinquenta anos. O mosteiro era dedicado a Bahamut e servia como base de uma ordem militar de paladinos, famosa por combater nas longínquas cruzadas de Nerath.
Segundo a história, os paladinos trouxeram um artefato sombrio recuperado numa cruzada para guardá-lo. Forças malignas se reuniram para invadir a abadia e o artefato.

ABRIGO DO INVERNO

Bem na encosta dos Velhos Marcos ao leste do Vale Nentir, está o vilarejo afastado de Abrigo do Inverno. Assim como Queda Escarpada, Abrigo do inverno é uma pequena cidade cercada por alguns quilômetros de fazendas e pastos.

CAMPO EUFÔNICO

Ao longo da encosta dos vales, acima do Rio Branco, existem cerca de meia dúzia de pequenas aldeias. Ao se unirem, elas formaram o Baronato de Campo Eufônico - um reino minúsculo cuja população total não é muito maior que a de Queda Escarpada. As pessoas de Campo Eufônico são fazendeiros, lenhadores e carpinteiros; inexpressivo é o comércio para cima e para baixo na velha Estrada do Rei. O governante de Campo Eufônico é o Barão Stoclaner, um velho cansado, outrora conhecido pelo seu braço forte com a espada quando era jovem. Ele é um governante justo e misericordioso.

Uma tribo de elfos conhecida como o Clã Cântico Bucólico vaga pela região a leste da floresta. Eles geralmente negociam com os humanos de Campo Eufônico e vigiam os passantes na Estrada do Rei. Há uma rixa antiga com os goblins do Burgo da Adaga e os goblins ficam do lado oeste da floresta para evitar as flechas rápidas e mortíferas O dos elfos. Mas nos últimos meses, os goblins estão cada vez mais numerosos e ousados.

CASA DAS CINCO LÉGUAS

A Casa das Cinco Léguas é mais conhecida como a Estalagem das Cinco Léguas. É uma hospedaria fortemente construída cercada por uma paliçada de madeira. A Casa das Cinco Léguas atende os viajantes e mercadores que vão e vem de Martelo Vigente, ficando a um dia de viagem (cinco léguas) a leste da cidade. O proprietário é um humano enorme como um urso chamado Barton.

COVIL DOS KOBOLDS

Assim como a Morada dos Kalton, os escombros que agora são conhecidos localmente como Covil dos Kobolds já foram a propriedade de um membro da baixa nobreza que veio para o Vale Nentir estabelecer seus próprios domínios. Destruída durante a Guerra das Lanças Sangrentas, esse velho castelo já está abandonado há quase um século.
As tribos de kobolds da Floresta do Manto agora espreitam em suas profundezas.

A ESPIRAL DO TROVÃO
Esse pico impressionante é o maior das Colinas Antigas. Debaixo da Espiral do Trovão jaz a antiga cidade de minotauros Saruun Khel. O reino dos minotauros caiu há cerca de cem anos antes de Queda Escarpada ter se estabelecido, quando um conflito pela sucessão levou a uma violenta guerra civil.
Os mercadores que passam pela Estrada do Comércio ás vezes se abrigam aqui.

FLORESTA EUFÔNICA

Essa grande área florestal vai desde o Rio Nentir até as montanhas e se estende por quilômetros em direção do sul. Ela separa o Vale Nentir das cidades litorâneas mais populosas ao sul. Há muito tempo atrás, os soldados de Nerath construíram uma poderosa fortaleza sobre uma fenda que levava ao Pendor das Sombras para protegê-la. O velho forte jaz em ruínas agora.

LONGÍNQUA

É uma minúscula aldeia de humanos situada na ponta leste do Lago Nen. As pessoas daqui lutam por um sustento miserável vendendo peixe defumado para os anões de Martelo Vigente. Eles também fazem negócios com os bárbaros Garra de Tigre da Floresta Raiz do Inverno. Quando o povo selvagem se aproxima para comercializar, eles vêm para Longínqua para negociar suas peles e âmbar em troca dos ótimos trabalhos forjados pelos anões.

MARTELO VIGENTE

Um forte de anões esculpido na rocha de um vale profundo nas Montanhas da Forja do Amanhecer, Martelo Vigente é o maior e mais rico vilarejo da região. A Estrada do Comércio passa pelos portões da cidadela e continua seguindo ao leste além da Cordilheira Forja do Amanhecer.

Martelo Vigente é governada por um conselho de mestres, todos eles líderes das guildas mais poderosas da cidade. A atual Grã Mestra é a líder da guilda mercante, uma anã chamada Marsinda Fiand'ouro. Os anões de Martelo Vigente protegem sua cidade por conta própria e não dão nada de graça, mas são honestos e urbanizados.

MORADA DOS KALTON

Ainda nos dias em que Nerath colonizava o Vale Nentir, a baixa nobreza em busca de terras para feudos construiu casarões e fortes nessa área. A Morada dos Kalton foi uma dessas tentativas, um pequeno forte construído pelo Lorde Arrol Kalton cerca de duzentos anos atrás. Lorde Arrol desejava colonizar o vale abaixo do Rio Branco, mas não conseguiu - os monstros do Atoleiro da Luz Enfeitiçada afastaram os arrendatários que ele trouxe consigo. Por fim, Arrol, sua família e alguns de seus serviçais viveram sozinhos no forte semi construído que lentamente caiu em ruínas antes que eles desaparecessem completamente.

Reza a lenda que existem tesouros escondidos - a velha fortuna dos Kalton - guardados em câmaras secretas debaixo das ruínas do forte.

NINHO DO CORVO

Esse pequeno forte fica na ponta sul das Colinas Antigas. Ele já abrigou um pequeno casarão, hoje em ruínas. Recentemente foi dominado por uma gangue de bandidos. Os líderes dos bandidos são um trio de shadar-kai chamados Samminel, Erzoun e Geriesh.

O PASSO PÉTREO

Uma terra de colinas rochosas e escarpadas, cheia de desfiladeiros profundos, entrecortada por rios de águas claras e violentas, o Passo Pétreo é o lar de tribos de humanóides e gigantes perigosos. Orcs, ogros, gigantes e tro1ls espreitam as regiões mais distantes dessas terras áridas. Para a felicidade dos moradores do vale, os monstros raramente vêm para o leste além dos Picos dos Velhos Marcos. O grande aglomerado de orcs conhecido como as Mandíbulas Afiadas de Kulkoszar vive na parte nortista dessa vastidão; lá, o chefe da tribo Lanças Sangrentas governa centenas de guerreiros violentos.

RUÍNAS DE FASTORMEL

Antigamente, Fastormel era uma vila próspera nas margens do Lago Nen. Ela foi destruída pelos orcs Lanças Sangrentas e nunca mais foi repovoada. Era governada por um Lorde Mago (o mago mais poderoso da vila clamava o cetro de governo) e a Torre do Berço das Névoas do último Lorde Mago ainda está de pé entre as ruínas do vilarejo. A torre é cercada por uma estranha névoa prateada que nunca se dissipa, independente do clima.

O TEMPLO DOS CRÂNIOS AMARELOS

Uma cripta maligna arruinada existe no meio das colinas desoladas da área. Dizem as lendas que um príncipe rakshasa invocou demônios no local e os obrigou aos seus serviços prendendo suas essências vitais em crânios humanos banhados em ouro. Nenhum deles já foi recuperado das ruínas, mas a história persiste.

O TÚMULO DA ESPADA

É um grande campanário localizado próximo dos Montes Cinzentos, uma região desolada. Os velhos clãs de humanos das colinas que viviam no Vale ergueram a construção séculos antes do povo civilizado criar Queda Escarpada. Os fundadores já se foram há muito tempo, mas seu campanário macabro perdurou. O Túmulo da Espada recebeu seu nome por causa das várias espadas enferrujadas de aspecto antigo que estão enterradas em torno dos túmulos, com as lâminas fincadas na terra; um visitante pode encontrar várias delas em poucos minutos só olhando ao redor. As lâminas parecem completamente comuns.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nymphicus
Iniciante
Iniciante
avatar

Mensagens : 8
Idade : 25
Local : Maceió - AL

MensagemAssunto: Re: [Cenário - Parte II] O Vale Nentir   Sex Jan 03, 2014 2:46 pm

OS MONTES SEPULCRAIS

Os Montes Sepulcrais são as colinas do Vale Nentir, que os agricultores gostam de chamar de lar. Eles são muito verdes e foram bastante seguros contra ataques, até recentemente. Ovelhas e outros animais não retornavam após o pastejo. Há rumores de que algum tipo de criatura está rondando e escolhendo animais de terras agrícolas, mas ninguém tem ideia do que poderia ser. Além disso, acredita-se que kobolds foram invadindo aldeias vizinhas e fazendas na ocasião. Ultimamente, este problema vem mantendo os agricultores e moradores acordados durante a noite, pois nunca há sobreviventes dos ataques de kobolds.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.behance.net/nymphicus
 
[Cenário - Parte II] O Vale Nentir
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Kalayaan - A Liberdade em Tagalo - Parte I (Crônica Oficial)
» Vale compras em leilões
» Vale dos ventos uivantes ♠ Local público oficial ♠
» [Konoha] Vale do fim - Fronteira com Suna
» Vida Loka de Kayo Lend Parte 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
D&D 4th Edition Brasil :: MESA DE JOGO :: Fantasy Grounds :: Mestre Walla-
Ir para: